O eSocial impacta diversos setores das empresas, pois a pontualidade e veracidade quanto às informações transmitidas passam a ser mais rígidas. Nos Recursos Humanos, as mudanças são mais significativas, já que todo o processo de controle da folha de pagamento e das informações dos funcionários precisa ser feito de modo mais alinhado. Compreender a relação entre eSocial e folha de pagamento é fundamental para se adequar à novidade.

Gostaria de entender mais sobre o assunto a fim de estar preparado quando a adaptação for obrigatória? Preparamos um artigo com os principais impactos. Confira a seguir e fique por dentro!

Modificação nos prazos de atualização

Antes do eSocial, alguns eventos referentes à folha de pagamento tinham um tempo maior para serem acrescentados nos registros oficiais. Informações como admissão de um novo empregado ou um afastamento podiam ser notificadas com até 30 a 40 dias.

Com o advento do eSocial, tais dados precisam ser prestados de maneira praticamente imediata, pois é possível incluir os ocorridos no sistema pontualmente. Notificações como admissões conseguem ser incluídas com um dia de antecedência, inclusive.

Desse modo, a folha de pagamento deve ser feita de modo mais criterioso, verificando-se se todas as informações estão atualizadas. Como os dados do sistema serão avaliados de maneira integrada, faz-se necessário garantir que essas mudanças estejam inseridas e a remuneração feita de modo proporcional. Assim, a folha se mantém dentro das regularidades.

Exigência de mais dados

Um impacto trabalhoso que o eSocial causa é o requerimento de dados mais complexos acerca do funcionário. Anteriormente, apenas informações de identificação do trabalhador e qual função ele desempenhava na empresa eram exigidos.

Na nova regra, o RH também deve fornecer endereço, estado civil, grau de instrução, existência ou não de dependentes e os demais dados pessoais de cada funcionário inserido na folha de pagamento. Também será necessário anexar informações acerca das condições de trabalho e da saúde do trabalhador.

Para o gestor, aumenta-se o trabalho de reunir e integrar tudo que é cobrado. Além disso, há a preocupação de as informações de pagamento serem compatíveis e coerentes com os registros fornecidos.

Cruzamento das informações

Todos os registros que a empresa fornece pelo eSocial são enviados ao fisco de maneira unificada. Assim, as obrigações trabalhistas, previdenciárias e fiscais quanto aos funcionários da empresa serão avaliadas com mais critério e pautadas em bases mais concreta.

Com isso, a folha de pagamento e as quitações de férias, demissões e outras atividades devem ser pontuais, feitas de maneira correta e acrescentadas ao sistema dentro dos prazos.

A unificação entre eSocial e folha de pagamento pode assustar, pois as informações serão avaliadas com muito mais rigidez e controle. No entanto, vale para a empresa encarar o sistema pelo seu caráter benéfico. A funcionalidade é uma ferramenta para desburocratização, fácil obtenção de informações e uma possibilidade e maior controle da gestão.

Conteúdo original via Ponto Mais