Essa é uma situação que se repete com cada vez mais frequência em empresas que não se prepararam para um processo sucessório. O tema sucessão está cada vez mais na pauta das organizações, mas a urgência na implementação de um processo sucessório adequado não acompanha o que aparece nos discursos.

A diferença crucial entre a organização que gerencia bem e a que gerencial mal está no entendimento da sucessão como um processo, não como um evento isolado. Claramente não se planejou o processo sucessório desta empresa, o que impactou diretamente os resultados na sustentabilidade do negócio, além da falha em transmitir seu legado e sua cultura de forma que o negócio chegue com a mesma capacidade produtiva e solidez até as futuras gerações.

Contudo, nessa situação da falta de planejamento você não tem controle e por isso deve focar nas decisões e ações que você deverá tomar daqui para a frente. O que fica evidente é que a empresa está em sérias dificuldades e sem perspectiva de rápida reversão desse cenário. Em um lugar sem perspectiva é hora de agir o quanto antes, buscando novos desafios no mercado. Mas você também tem a opção de esperar e ver o que acontece.

A partir do momento que você foca na busca de um novo emprego ou atividade, você terá um novo fôlego pois estará cuidando do teu futuro. Comece fazendo uma reflexão de qual seria o teu novo passo de carreira, e qual o teu mercado alvo, como quais empresas te interessam e onde você também será mais valorizada. Por ocupar uma posição em marketing, você tem um mercado bem amplo em termos de segmentos. Pesquise quais setores da economia estão mais aquecidos e com perspectivas de crescimento.

Desenhe teu plano, prepare teu currículo e o teu perfil no LinkedIn, ressaltando projetos, resultados e competências. Alinhe tudo isso ao se preparar para as entrevistas. A partir disso, vá à luta. Acione o teu networking de forma discreta, afinal você ainda está trabalhando, e deixe claro quais posições você busca e em quais mercado. O objetivo é que a tua rede de contatos seja teu radar e te ajude a achar uma nova posição.

O networking é o canal mais poderoso em um processo de recolocação. Mapeie as consultorias de RH, sites de posições, entre nos sites de empresas que você tem como alvo. Nas redes sociais voltadas à carreira você encontrará vagas que estão sendo anunciadas. Sei que o tempo é escasso, mas você consegue tocar a tua campanha de busca em paralelo ao teu trabalho.

Se você pedir demissão você terá mais tempo, contudo não é uma boa ideia pois o mercado ainda não está tão aquecido e você poder levar bem mais tempo do que imaginou para se recolocar. Além disso, o fato de estar empregada te dá uma vantagem de fazer escolhas, alinhando o que você busca com as oportunidades que se apresentam.

Busque manter a motivação, usando a tua resiliência. Resiliência é a capacidade de voltar ao seu estado natural, principalmente após alguma situação crítica e fora do comum. Na área da psicologia, é a capacidade de uma pessoa lidar com seus próprios problemas, vencer obstáculos e não ceder à pressão, seja qual for a situação. A resiliência demonstra se uma pessoa consegue lidar e se recuperar sob pressão.

Uma última opção é permanecer na empresa e deixar as coisas acontecerem, mas pode ser uma ideia arriscada se ela não se recuperar e fizer uma mudança radical na gestão no curto prazo. Apesar de você gostar muito da empresa, pondere se são boas as chances dessa rápida recuperação. Boa sorte em um 2019 de muito sucesso.

Karin Parodi – fundadora do Career Center e presidente do conselho da Wave.