Funcionários afastados do trabalho presencial com sintomas da Covi-19, precisam fazer exames ocupacionais antes do retorno à empresa.

A obrigatoriedade da maioria dos exames ocupacionais foi suspensa durante a quarentena. A medida foi ajustada conforme a necessidade de isolamento social da população e o aumento do trabalho remoto.

Mas, com o retorno às atividades, retorna também a obrigação de colocar em dias os exames que não foram realizados durante o período: admissionais, periódicos, mudança de função e retorno ao trabalho.

No caso de funcionários que apresentaram sintomas da Covid-19, ainda que não confirmados com teste ou que passaram o isolamento social em casa, devem passar, necessariamente, por um exame médico de trabalho.

Assim, o médico poderá conferir sintomas de possíveis contaminações ou até mesmo de ausência dela, garantindo também a segurança e conforto das equipes para retomada do trabalho presencial.

Ao não cumprir com esse dever, a empresa deixará de estar em dia com as normas de saúde e segurança do trabalho e estará colocando em risco a saúde de colaboradores que ainda não tiveram o contato com o coronavírus.

Minimizando riscos

Há ainda outras medidas que as empresas que vão retomar o trabalho presencial precisam cumprir para estar dentro das conformidades que a pandemia exige, como utilizar álcool em gel, implantar o uso obrigatório de máscara e fazer a limpeza constante dos postos de trabalho.

Segundo especialistas, adotar essas medidas recomendadas pelos órgãos de saúde, assim como fazer o exame ocupacional de funcionários, também protege a empresa de possíveis golpes, caso a doença tenha sido forjada ou seja pré-existente, e processos trabalhistas.

Fonte: Portal Contábeis