A confusão pode acontecer quando se pensa em salário bruto e salário líquido. Afinal, o que são eles? Como saber seus valores?

O salário é o valor da força de trabalho de um indivíduo por um determinado tempo e/ou atividade.

No Brasil, normalmente acontece por pagamentos mensais ou quinzenais.

O trabalhador formal que recebe o contracheque e o compara com a carteira de trabalho pode ter algumas dúvidas: Por que há essa diferença de valores? O que é o salário bruto? E o líquido?

Vamos abordar esses assuntos e sua importância no artigo de hoje.

Acompanhe!

O que é o salário bruto?

Em muitos casos, é comum algumas pessoas participarem do processo seletivo para um emprego formal e não saberem quanto é a proposta do salário de fato.

Nessas situações, há uma confusão na hora de saber o salário negociado para a carteira de trabalho.

Nela, está determinado o salário bruto do trabalhador, que é o equivalente total, sem os descontos.

Por isso, a atenção deve ser redobrada na hora de negociação de valores salariais.

É preciso saber que o valor da CLT é o salário bruto, não o líquido.

Trocar esses valores pode fazer muita diferença no final e evitar surpresas desagradáveis.

O que é o salário líquido?

Se o salário bruto é o que é determinado na carteira de trabalho, o salário líquido é o que sobra do salário bruto após a dedução de todos os descontos e contribuições na folha de pagamento.

É o valor que o trabalhador formal recebe do empregador todos os meses.

Todas as deduções podem ser vistas no contracheque, ou holerite, que o trabalhador recebe junto com o seu pagamento.

Quais são os descontos mensais?

Apesar de poder haver outros tipos de descontos, os mais comuns são:

INSS

Atualmente, a contribuição do INSS é cobrada por uma tabela de alíquotas progressivas, que varia de 7,5% até 14%, de acordo com a faixa salarial do trabalhador.

IRRF

O valor que o trabalhador pagará de imposto de renda é calculado a partir do valor do seu salário, subtraído o INSS e uma porcentagem para cada dependente legal, como cônjuge e filhos.

Depois disso, a faixa percentual pode ir de 7,5% a 27,5%, e sua cobrança de deduções é aplicada com base nessa escala de porcentagens.

Em 2020, para quem ganha até R$ 1.903.98, está isento da cobrança de imposto de renda.

FGTS

O desconto do FGTS é feito com base no total de rendimentos, não do salário.

O valor da contribuição para o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço é de 8% ao mês.

Vale-transporte

Para os trabalhadores que atuam presencialmente na empresa, há o desconto de vale-transporte, que equivale até 6% do salário.

Há outros tipos de desconto?

Anteriormente você viu os descontos salariais mais comuns, porém, dependendo do caso, pode haver outros tipos no contracheque, como:

Alimentação

A política de algumas empresas pode incluir o desconto pelo vale-alimentação ou uso do refeitório local.

Assistência médica

Se a empresa tiver como benefício um plano de saúde, pode haver a cobrança de parte da parcela ou do valor integral ao trabalhador.

Previdência privada

Se for oferecido um plano de previdência privada, o trabalhador e o empregador podem optar por contribuir com um plano corporativo.

Contribuição sindical

A reforma trabalhista retirou a obrigatoriedade da contribuição anual de um dia de salário ao sindicato.

Atualmente, a contribuição pode ser feita somente com a permissão do trabalhador.

Qual a importância de saber diferenciar?

Para o trabalhador, ao se candidatar em uma vaga ou negociar o salário, saber diferenciar o salário bruto do salário líquido pode evitar surpresas, como acreditar que receberia mais dinheiro do que a realidade.

Mas o empregador também deve estar atento.

Para o pequeno empreendedor que não conta com a ajuda de um contador, por exemplo, essa atenção deve ser constante:  muitos dos cálculos da folha de pagamento são feitos com base no valor do salário bruto dos funcionários.

Essa confusão pode gerar erros e dores de cabeça desnecessárias no futuro.

Fonte: Azulis