Em fevereiro de 2020, o Banco Central (BC) lançou em coletiva de imprensa o chamado PIX, um novo formato de pagamentos caracterizado como pagamentos instantâneos. Este novo formato estará disponível no Brasil em novembro de 2020.

Veja neste post o que é, como funciona o PIX e todos os detalhes sobre este método de pagamento.

Mas o que são pagamentos instantâneos?

Conforme o próprio Banco Central, o método PIX consiste em transferências monetárias que ocorrem em tempo real e que o serviço está disponível durante 24 horas por dia, todos os dias do ano, inclusive finais de semana e feriados.

Essas transferências não necessitam de intermediários. Isto é, o débito ocorre diretamente na conta do pagador e credita diretamente na conta do recebedor.

Basicamente, a criação do PIX tem o objetivo de aumentar a competitividade e eficiência do ecossistema brasileiro de pagamentos de varejo.

Como funciona o PIX?

Com o PIX será possível realizar pagamentos independentemente do horário e dia. Ou seja, poderá ser feito em feriados e finais de semana e sua liquidação ocorrerá em, no máximo, 10 segundos. Uauu!!

PIX banco Central

Poderão ser efetuados pagamentos de qualquer tipo e valor no PIX, incluindo:

Transferências entre pessoas (P2P);

Entre pessoas e empresas, incluindo e-commerces (P2B);

Entre empresas (B2B);

Pagamentos envolvendo o governo (P2G e B2G);

Folha de pagamento e benefícios sociais (G2P), pagamento de convênios ou outros serviços feitos pelo governo.

Um dos objetivos do BC é aprimorar a experiência, tanto dos pagadores quanto dos recebedores. Sendo assim, a realização de um pagamento instantâneo – PIX deve ser fácil,  simples e intuitiva.

Como resultado, os pagadores poderão efetuar seus pagamentos por três formas diferentes:

Por meio de um apelido, para identificar a conta transacional, não sendo mais necessário informar agência, conta e CNPJ/CPF. O apelido pode ser o número de telefone celular, CNPJ, CPF ou endereço de e-mail;

Por um QR Code estático ou dinâmico;

QR Code dinâmico:

Único para cada transação;

É possível inserir outras informações, além do valor;

Facilita a conciliação e automação.

QR Code estático:

Pode ser usado para várias transações;

É possível definir um valor fixo ou a inserção de um valor pelo pagador;

Ideal para pequenas e médias empresas.

Além do near-field communication (NFC), isto é, tecnologias que possibilitam a troca de informações por aproximação.

Quais são os principais benefícios do PIX?

Antes de pontuarmos os benefícios, é importante ressaltar que o PIX irá fomentar a competitividade entre as instituições financeiras e vai estimular a entrada de fintechs. Este estímulo é fundamental para que melhores serviços e preços sejam disponibilizados para o cliente final.

Além disso, confira abaixo os principais benefícios do PIX:

Será possível realizar pagamentos instantâneos 24 horas por dia e 365 dias por ano;

O tempo de liquidação será de, no máximo, 10 segundos;

Mais prático e mais simples, pois é necessário somente um celular, dispensando maquininhas, cartões de crédito, cheque, cédulas e etc;

Não será mais necessário informações de agência, conta bancária e CNPJ/CPF, mas apenas um “apelido”;

Facilidade na conciliação bancária e automação;

Possibilidade de integrações com outros serviços disponíveis no celular;

O custo será reduzido, como resultado, tendo em vista que não é necessário intermediários.

Outras modalidades de pagamento disponíveis

Agora, além do PIX,  temos dois principais tipos de transferências disponíveis no sistema de pagamento brasileiro, são eles:

DOC – Que significa “Documento de Ordem de Crédito”. É um tipo de pagamento que possibilita a transferência monetária entre pessoas e empresas. Porém esse formato possui algumas características:

Não tem valor mínimo;

Possui limite de R$ 4.999,99;

O crédito na conta do recebedor ocorre no dia útil seguinte à data de emissão (D+1);

Cada instituição estabelece um horário limite para a emissão de DOC, vale que ressaltar que, se efetuar o DOC após o horário limite, certamente o pagamento será creditado em D+2;

A instituição pode cobrar tarifa do remetente pela emissão.

TED – Que significa “Transferência Eletrônica Disponível”. Foi criada em 2002 pelo pelo Bacen, por meio da Circular N° 3.115. Este tipo de pagamento é mais flexível e possui características diferentes do DOC:

Não possui valor mínimo;

Não possui limite de valor;

O horário limite é definido pelas instituições, ou seja, respeitando o horário máximo determinado pelo fim de processamento do Bacen que é às 17h nos dias úteis. Após este horário, a TED pode ser agendada para o próxima dia útil;

A instituição pode cobrar tarifa do remetente pela emissão.

Para consultar todos os preços cobrados por cada instituição financeira, acesse o site da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e selecione a instituição desejada.

Como serão as taxas do PIX?

Acima de tudo, as transferências serão feitas diretamente da conta do pagador para o recebedor, sem a necessidade de intermediários, o que proporciona custos menores sobre a transação.

Conforme o BC, é obrigatório que o PIX seja gratuito para pessoas físicas, mas no caso de pessoas jurídicas é permitida a cobrança de tarifas.

Todas as instituições deverão aderir e oferecer o PIX?

As instituições financeiras ou de pagamentos que tiverem mais de 500 mil contas de clientes ativas deverão obrigatoriamente disponibilizar todas as funcionalidades para seus clientes. Porém as demais instituições poderão solicitar a participação do PIX.  Confira aqui as instituições que estão em processo de adesão.

A importância da marca

O BC tem reforçado a importância da marca criada pela própria autarquia. Isso se deve à preocupação de que não tenha equívocos nos pagamentos e transferências, dessa forma, o principal motivo da identidade visual criada.

Origial por Conube