O covid-19 tornou a morte um tema indispensável no mercado de trabalho.

A pandemia trouxe muitas notícias tristes com relação à falecimentos de entes queridos.

Conhecidos ou não, milhões de pessoas espalhadas pelo mundo foram vítimas do coronavírus e, com isso, milhares de famílias se encontram de luto.

Por isso, com ou sem a dor da partida, cabe a todos os cidadãos o sentimento da empatia, para que consigam se colocar no lugar do próximo e as relações sejam, da melhor forma possível, preservadas.

No que se refere ao mercado de trabalho, cabe à empresa, aos líderes e aos colegas, cuidar e manter um bom relacionamento e acolhimento com aqueles que sofreram perdas inestimáveis em decorrência do vírus que assola o mundo.

Segundo Madalena Feliciano, gestora de carreiras, “a pandemia colocou a morte como um assunto obrigatório nas empresas. Por isso, saber lidar com esse tema tão delicado e polêmico é essencial para que os funcionários se sintam acolhidos no trabalho”.

Desse modo, para apoiar quem perdeu alguém, a empresa precisa tornar real algumas políticas e atitudes que demonstram preocupação e cuidado com a saúde do contratado, ao mesmo passo que não invada a privacidade do mesmo.

Para a gestora, “conciliar essas duas atividades é somente possível quando a empresa se dedica de fato a essa missão”.

Para conseguir implantar um método que atenda a pessoa enlutada da melhor maneira, é preciso se adequar a alguns passos:

Adote um padrão de conduta para esses casos

Para a gestora, “criar uma política interna para lidar com o luto dos funcionários é essencial não só para a pandemia, mas também para qualquer outra situação que seja necessária”.

Desse modo, deve-se ter um padrão de comportamento para ajustar os benefícios e orientações que o funcionário deve receber.

Permita o afastamento do enlutado

Embora na CLT seja garantido por lei 3 dias de afastamento, para empresas que desejam se aproximar mais do funcionário, cabe a reflexão sobre a extensão desse direito.

Para Madalena, “à empresa que compreende a dificuldade que se tem em fazer um trabalho de qualidade estando nessa situação, é importante repensar o tempo em que o funcionário terá para se recompor”.

Cuide da saúde mental dos colaboradores

Oferecer terapias online e outros meios de cuidado pode ser uma ótima atividade para a empresa desempenhar.

Garantir esse cuidado é essencial para aqueles que perderam alguém.

Fale sobre a morte

Tratar a morte como um fato e falar sobre, pode ajudar muito aqueles que estão de luto.

“Por meio de rodas de conversa, palestras e atividades em grupo, as empresas podem criar um ambiente que enfrenta essa questão e, assim, trazer o funcionário para um espaço mais acolhedor”, afirma a especialista.

Torne real essas atividades

Para tornar possível esses métodos, é essencial que a empresa capacite os líderes e gestores para que saibam lidar com essa triste situação.

“Para promover a empatia, sensibilidade e compaixão, a empresa deve ensinar esses que serão responsáveis por fazer a relação entre a empresa e funcionário”, explica a gestora.

Acolher os funcionários que estão de luto é essencial em tempos de pandemia.

Desse modo, tornar a empresa um lugar que se preocupa com as necessidades e dores dos colaboradores é tão ou mais importante que fornecer um plano de saúde.

Cuide dos seus funcionários e eles serão leais e fiéis à sua corporação.

Fonte: Jornal Contábil