INSS: novo golpe envolve falso depósito para recebimento dos precatórios

 

Um novo golpe visando aposentados com valores a receber do INSS envolve a solicitação de um pagamento antecipado para liberação dos valores

O pagamento dos precatórios do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) segue como um tema em alta e devido a toda essa atenção, um novo golpe está sendo aplicado aos aposentados e pensionistas que tenham valores a receber do governo.

Essas pessoas estão sendo contatadas pelos golpistas e são informadas que para a liberação dos precatórios ou das requisições de pequenos valores em processos (RPVs), deve ser feito um pagamento antecipado dos impostos.

O Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) ou o governo não cobram nenhum tipo de pagamento para o recebimento dos precatórios devidos, não existindo impostos para acerto desse valor e também não existe uma taxa para estar apto ao pagamento.

Também não é possível fazer nenhum pagamento para adiantar o recebimento desses valores, então esse contato também seria uma tentativa de promover um golpe contra o aposentado ou pensionista.

Além de se passarem pelo INSS, os golpistas também se apresentam como advogados e outros cargos e profissões que possam ter relação com a liberação dos precatórios.

Os contatos estão sendo feitos, na maior parte, pelo aplicativo WhatsApp, no qual já são enviadas formas de pagamento dessas falsas taxas ou solicitação de dados bancários.

O INSS informa que não faz esse tipo de contato com o beneficiário e nem seus dependentes, por isso, evite qualquer compartilhamento de informações pessoais com contatos suspeitos.

Pagamento dos precatórios

Aposentados e pensionistas que ganham ações na justiça contra o INSS tem direito ao acerto desses valores atrasados, que costumam ser divididos de duas formas: inferiores a 60 salários mínimos, recebendo por Requisições de Pequeno Valor (RPVs), ou, no caso de valores superiores, os pagamentos são feitos por meio de precatórios.

Os precatórios são dívidas assumidas pelo poder público e quando o pagamento é realizado, os depósitos são feitos em contas bancárias abertas pela própria Justiça em nome de quem ganhou o processo, não precisando acertar nada pelo recebimento do mesmo.

Fonte: Portal Contábeis