Saque triplo do PIS/Pasep é liberado pela Caixa

 

A Caixa Econômica Federal libera mais três opções de saques do PIS/Pasep aos trabalhadores

A Caixa Econômica Federal encerrou no mês de março o pagamento do abono salarial do PIS/Pasep ano-base 2020, que estava definido para ser pago este ano de 2022.

No total, mais de 24 milhões de trabalhadores puderam receber até R$ 1.212 de abono salarial, de acordo com o período de tempo trabalhado em 2020.

Todavia, é importante destacar que este abono pago e que se encerrou em março não é o único pagamento do PIS/Pasep que será disponibilizado pela Caixa ao longo do ano.

Isso porque, a Caixa Econômica Federal vai permitir três saques do PIS/Pasep relacionados a anos diferentes, sendo dois deles de abono salarial e outro das cotas do fundo PIS/Pasep.

PIS/Pasep 2020 é prorrogado até o final do ano

Apesar de ter encerrado o cronograma de pagamentos do abono salarial do PIS/Pasep pago este ano referente a quem trabalhou em 2020, o governo decidiu liberar os saques até o dia 29 de dezembro.

Isso porque, quase 500 mil trabalhadores com direito ao benefício ainda não foram resgatar o abono salarial liberado este ano.

Segundo informações do Ministério do Trabalho e Previdência, mais de 125 mil trabalhadores da iniciativa privada e 353 mil servidores públicos ainda não realizaram o saque do benefício.

Vale lembrar que tem direito ao abono salarial pago este ano os trabalhadores que:

Exerceram atividade de carteira assinada por pelo menos 30 dias em 2020;

Que receberam em média até dois salários-mínimos por mês em 2020;

Que estavam inscritos no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos em 2020.

Em caso de dúvidas o trabalhador pode baixar o aplicativo Carteira de Trabalho Digital em seu celular para verificar se possui ou não direito ao benefício.

Nova chance para quem não sacou o PIS/Pasep 2019

A segunda possibilidade de saque do abono PIS/Pasep é destinada aos trabalhadores que exerceram atividade remunerada no ano de 2019.

O abono salarial para este grupo foi liberado entre os anos de 2020 e 2021, todavia, um novo grupo de 320 mil trabalhadores ganharam uma nova oportunidade de sacar o benefício.

O primeiro passo para saber se tem ou não direito ao benefício é verificar se você se encaixa nas seguintes regras do programa:

Exerceram atividade de carteira assinada por pelo menos 30 dias em 2019;

Que receberam em média até dois salários-mínimos por mês em 2019;

Que estavam inscritos no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos em 2019.

Caso você tenha se encaixado nessas regras e não recebeu o abono entre os meses de julho de 2020 a junho de 2021, pode ser possível que você seja uma das 320 mil pessoas com direito ao benefício.

Em caso de dúvidas, não deixe de consultar o aplicativo da Carteira de Trabalho Digital para verificar se possuí direito ou não ao benefício referente ao ano-base 2019.

Todavia para receber o abono salarial ano-base 2019, o trabalhador deverá solicitar o benefício junto ao Ministério do Trabalho e Previdência.

A solicitação pode ser feita de duas maneiras, a primeira delas presencialmente em uma unidade regional do Ministério do Trabalho.

Já a segunda é feita digitalmente, bastando que o trabalhador solicite o benefício enviando um e-mail para trabalho.uf@economia.gov.br, colocando no lugar de “uf” a sigla do estado em que o trabalhador reside.

No e-mail, não deixe de informar que está solicitando o saque do abono salarial ano-base 2019, assim como envie seus dados como o número de inscrição do NIS/PIS/Pasep e os dados pessoais como nome completo e CPF.

Saque das cotas do fundo PIS/Pasep

A última possibilidade de saque diz respeito aos trabalhadores que exerceram atividade de carteira assinada entre os anos de 1971 e 1988.

Segundo a Caixa Econômica, mais de R$ 23 bilhões estão disponíveis para saque a mais de 10,5 milhões de pessoas. Os saques já estão disponíveis desde 2019, mas por grande parte dos beneficiários não saberem do benefício ainda não foram sacados.

Nesse sentido, caso algum familiar seu tenha trabalhado de carteira assinada entre os respectivos anos de 1971 e 1988 e não tenha recebido as cotas do PIS/Pasep é bem possível que o mesmo possa ter dinheiro a receber.

Segundo a Caixa, o que dificulta o saque é que a maioria dos trabalhadores com direito às cotas do PIS/Pasep já estão aposentados e não sabem sobre o benefício.

Além disso, em caso de falecimento do titular do benefício, seus herdeiros ou dependentes podem realizar o saque do benefício.

O saldo das cotas do PIS/Pasep foram transferidos para o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). Nesse caso, para consultar os valores basta baixar o aplicativo “Meu FGTS” no seu celular e consultar.

Em caso de dúvidas o beneficiário também pode se dirigir a uma agência da Caixa e pedir informações sobre as cotas do PIS/Pasep para quem trabalhou entre 1970 e 1988.

Caso se dirija a agência da Caixa, não confunda abono salarial com cotas do fundo PIS/Pasep, pois são benefícios diferentes.

Fonte: Jornal Contábil